quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

PM suspeito de balear surfista em SC pode ser excluído da corporação


O policial militar Luis Paulo Mota Brentano, de 25 anos, suspeito de balear com três tiros o surfista catarinense Ricardo Santos, 24, que morreu na tarde desta terça-feira (20), pode ser excluído da corporação, segundo o comandante-geral da PM, coronel Paulo Henrique Hemm. Ele é o principal suspeito de ter cometido o crime e, em depoimento à Polícia Civil, o agente confessou ter efetuado os disparos. Ele vai ser transferido ainda nesta terça para seu batalhão de origem, o 8º BPM em Joinville, no Norte do estado.

Foto: Ricardo dos Santos era conhecido mundialmente por ser especialista em ondas grandes e tubulares (Foto: Instagram de Ricardo dos Santos/Reprodução).

"Não estamos medindo esforços na apuração, haja vista que logo em seguida do fato quando a polícia foi acionada, chegaram ao local, houve a prisão, foi conduzido à Delegacia de Polícia, onde, já de imediato, foi feito o flagrante e está sendo conduzido o inquérito policial. Isso vai nos apoiar para a realização do processo administrativo disciplinar, que poderá findar com a exclusão desse policial das fileiras da corporação", disse Hemm sobre o soldado que está há seis anos na corporação.

Ricardinho, como é conhecido pelos amigos, levou três tiros entre o tórax e o abdômen, na manhã de segunda-feira (19), após um desentendimento com o policial, que estava acompanhado do irmão, menor de idade. O surfista morreu às 13h10 desta terça, no Hospital Regional de São José, na Grande Florianópolis. Ele passou por quatro cirurgias - três delas na segunda -, mas não resistiu aos ferimentos. Durante os procedimentos feitos na segunda, que duraram cerca de sete horas, ele recebeu 24 litros de sangue. No dia seguinte, pela manhã, uma nova operação foi realizada para estancar uma nova hemorragia, mas o jovem não resistiu aos ferimentos e morreu horas depois.

O inquérito da PM deve ser concluído em 20 dias. Já a investigação da Polícia Civil tem até 30 dias para ser finalizada. Conforme a PM, Bretano respondeu por outros processos criminais e foi absolvido em todos.

Foto:  Mãe do surfista Ricardo dos Santos é amparada em Palhoça, SC (Foto: Betina Humeres/Agência RBS)
 

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Marcelo Arruda, será solicitada a mudança da tipificação do crime de tentativa de homicídio para homicídio doloso (quando há intenção de matar) qualificado, alteração que ainda deve ser analisada pela promotoria de Justiça.

O comandante-geral da PM afirmou que o policial deveria ter agido dentro dos preceitos legais da corporação mesmo estando sem farda ou de férias. "Ele teria que se identificar, procurar ver o que estava acontecendo, se tinha algo que fugia aos padrões e tentar resolver da melhor forma possível", declarou Hemm.

Ricardinho era reconhecido mundialmente como especialista em ondas pesadas e tubulares. A família pretendia cremar o corpo e jogar as cinzas no mar da Guarda do Embaú, em Palhoça, na Grande Florianópolis, mas, devido à dificuldade nos trâmites para emissão da escritura de cremação, os familiares decidiram realizar o enterro, nesta quarta-feira (21). O velório deve começar, por volta das 22h30 no salão paroquial da igreja da Guarda do Embaú.

Versões
 
Em depoimento na segunda, Brentano afirmou que atirou em legítima defesa, já que a vítima estaria com um facão. "Disse que a vítima teria tentado agredir e que ele teve que se defender", afirmou o delegado Marcelo Arruda. O menor de idade que acompanhava o PM na hora do crime e seria seu irmão contou a mesma versão. Ele foi ouvido como testemunha e liberado pela polícia.

Foto:  Suspeito de matar Ricardinho, Luis Brentano é da PM de Joinville (Foto: Reprodução/Facebook)

No entanto, segundo Arruda, os policiais militares que atenderam a ocorrência não apreenderam nenhum facão no local dos disparos. Já a arma e o carro do policial foram encaminhados para o Instituto Geral de Perícias (IGP).

Além de ouvir os PMs que foram ao local do crime, a Polícia Civil também colheu depoimento do avô e de um tio de Ricardinho, que afirmaram não ter havido nenhum tipo de agressão que motivasse os disparos, segundo Arruda.

O PM estava em férias no dia do crime. Segundo a tenente-coronel Claudete, um policial tem direito a permanecer com porte de armas mesmo em recesso.

Testemunhas
 
Testemunhas do crime contaram à polícia que, por volta das 8h30 de segunda, Ricardinho e o avô dele, Nicolau dos Santos, estavam se organizando para começar o conserto de um cano que traz água do morro e abastece as casas da família.

Foto:  Ricardo dos Santos morava na Guarda do Embaú (Foto: Instagram Ricardo dos Santos/Reprodução)

Um carro estava parado sobre o ponto onde o cano passa. O surfista teria pedido aos dois ocupantes para que o automóvel fosse tirado dali, mas um deles teria reagido de forma agressiva.

O morador da Guarda do Embaú Mauro da Silva relatou que o policial disse "quem manda aqui é nós". "No exato momento, eu cheguei junto e o Ricardo falou 'como quem manda aqui é nós se eu nasci aqui, nunca vi vocês aqui'. Eu cheguei e falei 'não, cara, é melhor vocês saírem'".

Segundo os moradores não houve uma discussão forte e, quando todos achavam que o motorista estava saindo com o veículo, o policial sacou uma pistola e atirou duas vezes contra Ricardo.

O atleta ainda tentou fugir, mas foi atingido por mais um tiro nas costas, conforme testemunhas.

Outra versão de testemunhas afirma que o policial e o irmão estariam consumindo drogas na frente da casa do surfista, que pediu para eles saírem do local. Teria havido uma discussão e os tiros. O inquérito policial deve indicar o que realmente aconteceu.

Para a PM, as versões sobre o crime ainda estão contraditórias quanto ao suposto uso de drogas. "Foi o próprio soldado que solicitou o exame toxicológico. Ele confessou que teria ingerido álcool na noite anterior, mas não outras drogas", disse a tenente-coronel Claudete.

O resultado do exame será encaminhado à delegacia de Polícia Civil e depois compartilhado com a Corregedoria Militar, responsável pelo inquérito militar.



Corpo de homem é achado em canavial em Americana


O corpo de um homem em estado de decomposição foi encontrado num canavial da Avenida Nicolau João Abdala, em Americana, na manhã de anteontem. A vítima vestia roupa de uma empresa de segurança de Campinas e, até a tarde de ontem, não havia sido identificada. 
 
A PM (Polícia Militar) foi ao canavial após receber denúncia anônima por volta das 11h30. No local foi encontrado o corpo de um homem, segundo informações do BO (Boletim de Ocorrência), que vestia uniforme do Grupo Colt, de Campinas. 
 
Nenhum documento foi achado com a vítima, vestida com camisa social branca com o logo da empresa no bolso esquerdo, calça social preta e bota preta. A perícia também foi acionada, mas, devido ao estado do corpo, não pode descrever a fisionomia da vítima. Um investigador da Polícia Civil relatou a possibilidade de o corpo ter sido arrastado. 
 
Um gerente da Colt, Marco Aurélio de Oliveira, 35, foi ao local, mas não reconheceu a vítima. Ele ficou de verificar junto ao recursos humanos da empresa alguma ocorrência de desaparecimento ou delito. Oliveira não foi encontrado, e a empresa não indicou outro gerente para comentar o caso. 
 
A ocorrência foi registrada por morte suspeita no Plantão Policial de Americana. A Polícia Civil não confirmou relação entre o homem encontrado com a empresa de Campinas. As investigações seguem com o 4º Distrito Policial.

Prefeitura de SP vê redução em 80% nos usuários da Cracolândia


A Prefeitura de São Paulo divulgou em seu site o balanço do primeiro ano de funcionamento do programa "De Braços Abertos", que oferece trabalho e moradia para usuários de drogas na área conhecida como Cracolândia, na Luz, região central.



Segundo a gestão municipal, houve redução de 80% na concentração de pessoas que usam crack - o "fluxo" - no trecho entre a alameda Cleveland e a rua Helvétia, onde foi instalado um posto do programa municipal.

De acordo com a prefeitura, o fluxo era de 1.500 pessoas por dia e caiu para 300 no período. Na tarde de ontem, a reportagem esteve na região e registrou ao menos 700 pessoas no local, algumas dormindo e outras usando crack.

A "favelinha de lona", construída contra a vontade dos coordenadores do projeto por facilitar o tráfico e ocupar a calçada, estava montada e reunia grupos de usuários.

Segurança

Ainda segundo o balanço, houve redução da criminalidade na Cracolândia. O número de furtos caiu de 582 em 2013 para 392 no ano passado. Já a apreensão por tráfico de entorpecentes aumentou de 96 para 176 no mesmo período. Os dados são da Polícia Militar.

Ao longo do último ano, também foram realizadas 6.344 abordagens pela Guarda Civil Metropolitana na região, no apoio ao trabalho da PM, e 319 prisões (91 com crack). No total, a GCM apreendeu 2.486 pedras de crack.

Presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Santa Cecília, Fábio Fortes criticou os dados. "Isso é uma fantasia. Os crimes não diminuíram. As pessoas perderam a disposição para fazer o boletim de ocorrência. Esse relatório está debochando da comunidade local e dos bairros vizinhos", reclama.

Por meio da assessoria, a prefeitura informou que o fluxo da Cracolândia é flutuante e varia de acordo com o dia e o horário. Informou ainda que o número de usuários é relatado com base no número de pessoas que frequentam a região diariamente. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Mulher é acusada de esfaquear marido durante uma discussão em Sumaré


O pedreiro J.D.D.S., 50, foi ferido a faca pela mulher durante uma discussão ocorrida após bebedeira. A confusão aconteceu na madrugada de anteontem, no Jardim Luiz Cia, em Sumaré. S. recebeu atendimento médico na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e foi liberado. 
 
De acordo com informações do BO (Boletim de Ocorrência), o pedreiro e a mulher, que não teve idade e profissão divulgados, discutiram por volta das 2h. 
 
O casal estava bebendo na casa de uma vizinha, na Rua Decio Ribeiro Borges, mas discutiu ao chegar em casa, quando C. foi ferido. 
 
O pedreiro relatou à polícia ter sido surpreendido pela mulher que, armada de faca, atingiu golpes no rosto e costas dele. 
 
Ele precisou ser levado à UPA, onde foi medicado. A motivação da discussão não foi informada pela vítima. 
 
C. e a mulher não foram encontrados para comentar a agressão. 
 
A PM (Polícia Militar) foi acionada e acompanhou a ocorrência, registrada como lesão corporal no Plantão Policial de Sumaré. 
 
O caso foi encaminhado para o 2º Distrito Policial da cidade. Ninguém foi preso.

Cascavel é encontrada dentro de condomínio em Campinas

Fonte: TVB Record - Balanço Geral

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Reformulação no Palmeiras prioriza contratações e esconde base


A euforia da torcida palmeirense com as 16 contratações para 2015 deixa de lado um fator importante no aspecto de desenvolvimento e também financeiro em possíveis vendas no futuro: as categorias de base. E isso preocupa Oswaldo de Oliveira. 

Com muitos nomes novos, a diretoria priorizou contratar alguns jogadores com mais experiência e outros jovens que já tiveram mais rodagem internacional a apostar nas suas próprias "crias".

Victor Luís é um símbolo disso. Titular de todas as partidas com Dorival Júnior, o lateral que também pode atuar como volante perdeu espaço com a chegada de Oswaldo de Oliveira. O treinador preferiu dar chances a Zé Roberto e a João Paulo na posição. Na fila, ainda há outro garoto: Mateus Müller. 

No início dos trabalhos, Victor fez alguns treinos separados e nem foi para campo. No amistoso contra o Shandong Luneng, entrou no segundo tempo. E ele renovou o contrato no ano passado.

Casos parecidos vivem Renato, João Pedro e Nathan, que também tiveram vínculos renovados. Os dois últimos, inclusive, estão na seleção sub-20 e ainda não treinaram com Oswaldo. O que tem mais chance de ser titular entre eles é o zagueiro.
Outro caso curioso é o de Gabriel Fernando. Tratado como grande aposta, ele ouviu da diretoria que teria chances no profissional após a disputa da Copa SP. O ataque, no entanto, é o setor que mais tem opções para o comandante. 

O êxodo de garotos da base já começou na ida de Bruno Dybal para o Japão e continua com as iminentes saídas de Vinícius, Patrick Vieira, Luiz Gustavo e Gabriel Dias. A lista ainda pode aumentar com a chegada de Arouca, o que acarretaria no afastamento de João Denoni.
Julen e Lucas Morelatto são exemplos cada vez mais raros dos jovens que têm chance de intercâmbio no grupo profissional. O primeiro, inclusive, vai para Itu na pré-temporada. 

O uso dos garotos da base é uma preocupação de Oswaldo de Oliveira. Seus planos, no entanto, também sofrem bastante resistência por causa do regulamento da Federação Paulista de Futebol para o Estadual. Apenas 28 nomes poderão ser utilizados. O treinador se revoltou com o regulamento.

"Quero lamentar muito essa atitude. Iniciamos uma temporada jogando jogos sucessivos, com essa temperatura e ainda você cria esse tipo de restrição?", questionou o comandante.

"Gostaria de abrir o leque de jogadores, porque gosto muito de fazer uma transição das categorias de base para o time de cima. Ano passado eu subi 10 no Santos depois da Copinha. Estou assistindo os novos talentos do Palmeiras e não vou conseguir usar esse manancial muito importante. Fizemos um levantamento dos que poderão ser utilizados e quase não sobra vaga para os meninos", completou.

Acidente mata um e derrama ácido na Rodovia Luiz de Queiroz


Uma pessoa morreu em um acidente envolvendo um caminhão Volkswagen e uma caminhonete Ford Courier na Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304), ontem, em Americana. O caminhão transportava ácido sulfúrico e parte da carga se espalhou na pista. A estrada teve de ser interditada no sentido Rodovia Anhanguera (SP-330), formando um congestionamento de cinco quilômetros 
 
A vítima fatal, Joel Xavier, 48, era motorista da Courier. Segundo informações do Corpo de Bombeiros e da Polícia Rodoviária, o motorista do caminhão colidiu na traseira do outro veículo, que estava estacionado no acostamento, próximo ao Jardim Alvorada, por volta das 16h. 
 
Com o impacto, a carreta subiu o barranco e tombou na pista, ficando com a cabine de cabeça para baixo. A Courier foi lançada e parou em cima do barranco. 
 
Parte do ácido sulfúrico vazou para a canaleta, fazendo com que os bombeiros usassem a técnica de "piscina de contenção" com lonas de tecido absorvente, mantas e terra para evitar que o produto se espalhasse. 
 
O motorista da Courier morreu na hora. O condutor do caminhão ficou 40 minutos preso nas ferragens. Apenas com escoriações, o caminhoneiro foi socorrido e encaminhado ao Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi. O helicóptero Águia da Polícia Militar foi acionado e chegou a pousar na pista, mas ao ficar constatado que a gravidade das lesões era pequena não precisou ser utilizado. A faixa da direita, sentido Anhanguera, permanecia interditada até fechamento desta edição, para a retirada do caminhão, atravessado na via, e do ácido sulfúrico, que seria transferido para outro veículo. A outra faixa foi liberada às 17h20. 
 
O engarrafamento refletiu no trânsito de vias adjacentes à rodovia, em Americana. Segundo a Guarda Municipal, a Avenida José Bonifácio e as saídas da SP-304 ficaram congestionadas e o tráfego só foi normalizado após as 19h. 
 
OUTRA MORTE 
 
Em outro acidente, um homem de 23 anos morreu em uma colisão da motocicleta que conduzia com um automóvel na tarde de anteontem, em Santa Bárbara d'Oeste. João Caspani bateu de frente com um carro no cruzamento entre as avenidas São Paulo e Antônio Gomes Cardoso, na Zona Leste do município. 
 
O Corpo de Bombeiros ainda fez o resgate do rapaz e o levou para a Unidade Modular Dr. Afonso Ramos, mas ao chegar no local, foi constatado o óbito. 
 
Em um terceiro caso, o motorista Deocleciano Noleto Filho, 35, ficou preso entre o próprio caminhão e um ônibus ao ser atropelado num posto de combustíveis, na tarde de anteontem, em Americana. 
 
Ele foi socorrido ao Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi. O estado de saúde não foi divulgado pela assessoria de imprensa da unidade. Filho foi atropelado quando estava encostado ao caminhão dele num posto próximo ao quilômetro 123 da Anhanguera.

Tio de surfista baleado diz que discussão banal motivou tiro


O surfista profissional Ricardo dos Santos foi atingido por um tiro após uma discussão na Guarda do Embaú na última segunda-feira. Mauro da Silva, tio do atleta, presenciou tudo.

Em entrevista ao UOL Esporte, Mauro revelou que estava ao lado de Ricardo quando tudo aconteceu e disse que um bate-boca bobo que levou o sobrinho ao hospital.

"Foi uma discussão banal, simplesmente banal. Tivemos uma discussão e o cara atirou. Cada um tinha ido para o seu lado e, tempo depois, ele veio em frente ao carro e atirou sem falar nada", disse Mauro.

A discussão ocorreu em frente à casa do avô de Ricardo, local em que o surfista e seu tio fariam uma mudança no encanamento.

"O avô dele (Ricardo) passou, e eles (suspeitos) falaram besteira e ficaram rindo. Ele foi tirar satisfação, e eles pediram para deixar curtir. Foi quando cheguei e falei 'o que é isso cheirando cocaína, oito da manhã, em frente de casa de família. Nem é bom para vocês'.

 Um deles disse que já estava indo embora e acabou a discussão. A gente virou, entrou na casa e pegou as ferramentas para descer e começar a obra. Nisso, ele passou pelas costas e atirou. Como eles tinham falado que iam embora, na hora a gente esqueceu, jamais imaginava o que isso ia acontecer", falou.

Ricardo, que está internado na UTI em um hospital de Santa Catarina, não caiu inconsciente depois que foi baleado e teve até tempo de fazer um pedido para o tio.

"Ele estava consciente e até tranquilo. Falou: 'vai atrás e pega a placa'. Foi aí que consegui correr, anotar a placa e ligar para a polícia", completou.

O surfista teve de passar por duas cirurgias e como perdeu muito sangue durante a operação teve de receber doação. Ricardo está internado na UTI e Mauro chegou a falar em "milagre" para que seu sobrinho melhorasse.

Em conversas com o médico de seu sobrinho, ele escutou que apenas duas a cada cem pessoas atingidas na veia cava sobrevivem.

Em vídeo, Estado Islâmico cobra US$ 200 mi por vida de reféns japoneses


Um vídeo divulgado nesta terça-feira (20) mostra a milícia radical Estado Islâmico ameaçando matar dois reféns japoneses a não ser que recebam um resgate de US$ 200 milhões (R$ 524 mi) nas próximas 72 horas.
 
O vídeo, produzido pela al-Furqan (braço midiático dos jihadistas) e postado em sites simpáticos à milícia, foi produzido no mesmo estilo de outras ameaças já realizadas pelo EI -reféns ajoelhados e vestidos de laranja, enquanto um homem com o rosto coberto fala à câmera.
 
O militante se dirige diretamente ao premiê japonês, Shinzo Abe, que fazia visita oficial ao Oriente Médio, mas cancelou compromissos oficiais depois do vídeo. Num discurso proferido em Jerusalém, Abe prometeu salvar os reféns, identificados pelos extremistas como Kenji Goto e Haruna Yukawa. Ele pediu que o EI libere imediatamente os homens.
 
"Peço encarecidamente que não causem nenhum dano aos reféns e os liberem imediatamente", disse. Goto é jornalista e Yukawa é funcionário de uma companhia militar privada. O primeiro-ministro acrescentou que "extremismo e islã são duas coisas completamente diferentes". Recentemente, Abe anunciou que ajudaria em US$ 200 milhões (R$ 524 mi) países que combatessem a milícia.
 
No vídeo, o jihadista afirma que "apesar de o Japão estar a mais de 8.500 km de nós, você resolveu se associar à cruzada. Você doou US$ 100 milhões (R$ 262 mi) para que matem nossas mulheres e crianças e que destruam as casas dos muçulmanos". Assim como em gravações anteriores, o homem que fala à câmera tem sotaque britânico.
 
De Tóquio, o chefe de gabinete do governo japonês, Yoshihide Suga, se negou a informar se o Japão pagará ou não o resgate exigido pelo Estado Islâmico. "Se for verdadeiro [o vídeo], a ameaça em troca da vida de pessoas é imperdoável e nós nos sentimos muito indiginados", disse. Suga completou que o Japão "se esforçará ao máximo para conseguir que eles [os reféns] sejam liberados o mais rápido possível".
 
O vídeo é o primeiro que o Estado Islâmico exige pagamento de resgate. Acredita-se que o grupo esteja enfraquecido após os bombardeios da coalizão liderada pelos Estado Unidos. No ano passado, o grupo divulgou vídeos em que ameaçava reféns. Porém, em vez de dinheiro, pedia que os ataques cessassem.

Moradores reclamam da falta de acesso em Santa Bárbara D'Oeste

Fonte: TVB Record - Balanço Geral

São Paulo escondeu joia da base para não perdê-la, mas isso pode dar errado

Joanderson celebra gol (FOTO) no símbolo do São Paulo, no Morumbi. Ele também defende a seleção


Classificado para as quartas de final, o São Paulo faz boa campanha na da Copa São Paulo. O clube do Morumbi, porém, está desfalcado de uma das principais joias de suas categorias de base: o atacante Joanderson, com passagem pelas seleções sub-15 e sub-17, não foi inscrito na competição.



O jogador, de 19 anos, apareceu ao ser artilheiro da Copa do Brasil sub-17 de 2013, conquistada pelo São Paulo que também tinha Boschilia e Ewandro, atualmente nos profissionais. Na ocasião, marcou sete gols, e foi convocado no mesmo ano para o Mundial sub-17, com a seleção.

Apesar do currículo, a justificativa oficial do São Paulo para a ausência do jovem é a de que ele não atravessa o melhor momento técnico. Nos bastidores, porém, a explicação é outra: seu contrato com o clube termina no final de fevereiro, e as negociações pela renovação não estão fáceis.

Para não expor um jogador em condições de assinar com qualquer equipe, o São Paulo optou por esconder Joanderson. A medida, porém, não teve o efeito desejado – acabou tendo o efeito contrário. O UOL Esporte apurou que clubes  brasileiros  interpretaram a ausência como o início de uma desavença entre o clube e o atacante, e, por isso, começaram a fazer sondagens.

Pessoas próximas ao jogador dizem que ele pode permanecer no Morumbi – não negociará com ninguém enquanto tiver contrato - mas evitam dar qualquer garantia disso . Além da parte financeira, o jogador também sinais de que pode ganhar uma oportunidade no futuro próximo.

A favor da permanência pesa a história no clube que o formou. Seu empresário, Paulo Pitombeira, tem bom relacionamento com o São Paulo, trabalha com outros jogadores que vestiram a camisa tricolor, como Hernane Brocador.

Contra pesa a dificuldade em ganhar uma oportunidade em um elenco que tem Pato, Luis Fabiano, Kardec, Ademilson, Cafu e ainda procura um nome de peso para o setor ofensivo. Nos últimos anos, o São Paulo tem um histórico misto com as promessas da base: enquanto Lucas e Breno explodiram e foram vendidos por cifras milionárias, outros como Oscar e Lucas Evangelista não tiveram as chances esperadas e deixaram o clube.

Na Copa São Paulo, o São Paulo enfrenta o Atlético-MG, nesta terça. Se vencer, pode acabar em um clássico: encara o vencedor de Corinthians x São Caetano nas semifinais.

Parque em Hortolândia terá pista de caminhada até o fim da semana

Fonte: Todo Dia

A Prefeitura de Hortolândia anunciou que até o fim desta semana complementa as obras de pavimentação da pista de caminhada do Parque Remanso das Águas, no Jardim Minda. A pista terá 1.753 metros de extensão e faz parte da implantação da estrutura do parque.

O local já recebeu trabalhos de paisagismo com plantas ornamentais, foram finalizados os campos de malha e bocha e o sistema de iluminação também está pronto. O reservatório de contenção de enchentes também foi concluído e poderá armazenar até 840 milhões de litros de água. Segundo a prefeitura, o local já vem servindo para conter cheias.

Quando finalizado, o parque terá duas quadras poliesportivas; três quadras de malha, duas de bocha; parque com brinquedos de madeira; academias ao ar livre; pista de caminhada; ciclovia e estacionamento com capacidade total para 97 veículos.

Suspeito de matar namorada em Campinas continua foragido

Fonte: TVB Record - Balanço Geral

Nações Unidas condenam execução de brasileiro na Indonésia


A Organização das Nações Unidas (ONU) apela para que a Indonésia suspenda as execuções de pessoas condenadas por tráfico de drogas, critica a morte do brasileiro Marco Archer e alerta que "a pena capital não funciona contra o contrabando". O recado foi emitido em Genebra pela porta-voz de direitos humanos da ONU, Ravina Shamdasani, que quer que uma moratória seja instaurada.

O brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira foi executado no fim de semana pelo governo de Jacarta e outro brasileiro, Rodrigo Muxfeldt Gularte, pode seguir o mesmo caminho depois de ter sido condenado também por tráfico de drogas.

"A pena capital não funciona para parar ofensas relacionadas a drogas", disse Ravina. "O Conselho Internacional de Narcóticos incentiva países que ainda tem essas leis que acabem com a punição", explicou. "Isso deve deixar as coisas esclarecidas", insistiu.

"Estamos preocupados com o contínuo uso da pena de morte para casos de crimes relacionados às drogas", afirmou, citando as seis pessoas executadas no sábado (17), na Indonésia. "Outras 60 pessoas aguardam no corredor da morte", indicou.

A ONU também mandou um recado ao presidente da Indonésia, Joko Widodo, que indicou que rejeitaria qualquer pedido de clemência. "Estamos preocupados", insistiu a entidade, pedindo que os processos legais sejam transparentes e que recursos sejam permitidos.

Ravina apontou que a Indonésia ratificou tratados internacionais que indicam que "qualquer pessoa condenada à morte deve ter o direito a buscar perdão ou substituição da sentença". Isso estaria previsto na Convenção Internacional de Direitos Políticos e Civis.

Em sua declaração, a ONU ainda apela para que novas execuções sejam suspensas. "Pedimos às autoridades indonésias que reinstalem uma moratória sobre a pena de morte e que façam uma revisão completa sobre todos os pedidos de perdão para que as penas sejam substituídas", indicou Ravina.

No Sudeste Asiático, a pena capital por tráfico é previsto nas leis da Indonésia, Malásia, Cingapura, Tailândia e Vietnã. Neste último país, oito pessoas foram condenadas nesta terça-feira (20), e a ONU renovou seu pedido para que as execuções não ocorram e que o Vietnã "considere eliminar" a pena de morte para crimes relacionados às drogas.

Brunei, Laos e Mianmar também têm leis parecidas, mas não as aplicam desde 1988.

Para a ONU, a jurisprudência internacional abre espaço para a pena de morte apenas em casos de assassinatos. "Ofensas relacionadas a drogas, crimes econômicos, crimes políticos, adultério e ofensas relacionadas com relações entre pessoas do mesmo sexo não podem ser consideradas na categoria de crimes mais sérios."

Roubo a banco deixa moradores inseguros

Fonte: TVB Record - Balanço Geral

Morre surfista baleado em Santa Catarina


O surfista Ricardo Santos, de 24 anos, não resistiu aos ferimentos provocados pelos três tiros que levou na segunda-feira e morreu no início da tarde desta terça-feira no Hospital Regional de São José (SC).

Internado após ser vítima de três disparos, entre as regiões do tórax e abdómen, Ricardo havia sido submetido a quatro cirurgias, a última delas na manhã desta terça. Entretanto, em nenhum momento os médicos conseguiram conter a hemorragia.

Avião da AirAsia alcançou uma velocidade excessiva e caiu


O ministro indonésio dos Transportes revelou nesta terça-feira (20) que o avião da AirAsia, que caiu no mar com 162 pessoas a bordo em 28 de dezembro, voava em uma velocidade excessiva e parou antes de cair.

"Nos últimos minutos, o avião assumiu uma velocidade superior ao normal", explicou o ministro Ignasius Jonan, citando dados do radar do aparelho. "De repente, ultrapassou a velocidade limite que podia voar e parou", acrescentou.

O inquérito sobre o acidente concentra-se na possibilidade de erro humano ou danos no aparelho, após descartarem a tese de terrorismo, informou uma autoridade nesta terça-feira.

O Airbus A320-200 decolou em 28 de dezembro da cidade indonésia de Surabaya para Cingapura, e cruzou uma área com muitas nuvens antes de desaparecer dos radares. A aeronave caiu logo após no Mar de Java, e não houve sobreviventes.

Equipes de mergulhadores recuperaram, desde então, 53 corpos e as duas caixas-pretas do avião, que registram respectivamente as conversas entre os pilotos e o controle de tráfego aéreo e demais parâmetros do voo (velocidade, altitude, velocidade do motor, etc.).

Investigadores do Comitê Nacional de Segurança do Transporte ouviram o gravador de voz, mas se recusaram a dar detalhes sobre seu conteúdo, dizendo apenas que não havia nenhuma indicação de um possível ato terrorista.

"Nós não ouvimos qualquer outra pessoa (além dos pilotos), nenhuma explosão", indicou o investigador s Nurcahyo Utomo a jornalistas que evocaram um possível ato terrorista.

Os investigadores se concentram agora "na possibilidade de danos à aeronave e fatores humanos", acrescentou.

Outro investigador, Ertata Lananggalih, observou que nenhum detalhe sobre o conteúdo dos registradores de voo seriam divulgados antes da publicação de um relatório preliminar sobre as causas do acidente, esperado para a próxima semana.

A Agência Nacional de Meteorologia indicou em um relatório, divulgado no início deste mês, que o tempo poderia ter sido o "gatilho" do acidente.

Entre as 162 pessoas a bordo estavam 155 indonésios, o co-piloto francês Rémi Plesel, um britânico, três sul-coreanos, um malaio e um cingapuriano.

Suspeito de matar mulher e enteada se entrega e é preso em Americana

Fonte: Todo Dia

O suspeito de ter matado a mulher e a enteada em Americana, o tecelão Enéias Cardozo, 46, se entregou à Polícia Civil na madrugada desta terça-feira (20). Ele teve a prisão preventiva decretada na semana passada um dia depois de se apresentar ao delegado Alfredo Ondas.

Cardozo teria matado a facadas a mulher Luzia Cardozo e a enteada Dara Silva, 21, na casa onde eles viviam no bairro Nova Americana, em 9 de janeiro. A filha de Dara, de um ano e seis meses, estava na casa, mas não foi atacada pelo criminoso.

O tecelão teria confessado o crime a um irmão, mas fugiu antes de ser flagrado no local. Dias depois das mortes, ele procurou a Polícia Civil e se apresentou com um advogado, mas não foi preso. Nesta madrugada, no entanto, já havia um pedido de prisão preventiva. Cardozo será transferido para o Centro de Detenção Provisória em Sumaré.

Grandes lojas levam multa de R$ 28 milhões por venda casada de seguros Comente


As redes Casas Bahia, Magazine Luiza, Ponto Frio, Ricardo Eletro, Insinuante e Fast Shop foram multadas em R$ 28 milhões pelo Ministério da Justiça por venda casada.

Sem informar nem pedir autorização aos consumidores, as empresas incluíam, junto com a venda de seus produtos, garantia estendida, planos odontológicos, seguro de vida, seguro desemprego, títulos de capitalização e até cupons para sorteios, de acordo com o ministério.

A prática desrespeita o Código de Defesa do Consumidor.

UOL entrou em contato com as empresas e o Magazine Luiza informou que só vai se pronunciar após receber a notificação do ministério. As outras empresas até o momento não responderam. 

Em julho, o ministério já tinha instaurado processos administrativos contra Fast Shop e Lojas Insinuante por suspeita de venda irregular de seguros.

Pagamento deve ser feito em até 30 dias

As multas são de aproximadamente R$ 7,2 milhões para Casas Bahia, Magazine Luiza e Ponto Frio; e de R$ 2,4 milhões para Ricardo Eletro, Lojas Insinuante e Fast Shop.

O pagamento deve ser feito em até 30 dias e o dinheiro será usado para ações voltadas à proteção do meio ambiente, do patrimônio público e do direito do consumidor.

Denúncia levou a investigação

O ministério começou a investigar a prática abusiva após denúncia de órgãos de defesa do consumidor contra a Casas Bahia, em 2002. Segundo a denúncia, a rede vendia irregularmente seguro garantia estendida e planos odontológicos.

Com informações dos Procons, outras empresas também passaram a ser investigadas.

É dever do fornecedor informar, esclarecer e orientar o consumidor sobre todos os produtos e serviços ofertados, segundo Amaury Oliva, diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, ligado ao Ministério da Justiça.

"Em relação ao seguro garantia estendida, o consumidor precisa ficar atento: ele não substituiu a garantia prevista no Código de Defesa do Consumidor. Essa garantia é direito do consumidor e dever do fornecedor", explica.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Operador mandou cortar luz, dizem empresas do Sul, Sudeste e Centro-Oeste


Concessionárias de energia elétrica de Estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste informaram que o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) determinou uma redução de carga distribuída na tarde desta segunda-feira (19), o que provocou um apagão em partes dessas regiões. O corte aconteceu por volta de 15h (de Brasília). De acordo com as empresas, o ONS autorizou a normalização da distribuição pouco antes das 16h. O ONS não informou o motivo do pedido de corte na carga e disse que técnicos estão analisando o caso. 

O apagão afetou os Estados de São PauloRio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná e o Distrito Federal. Internautas também relataram falta de energia nos Estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Alagoas.

As distribuidoras de energia AES Eletropaulo (Grande São Paulo), CPFL (parte do interior de São Paulo e Rio Grande do Sul), Copel (Paraná), Light (Rio), Cemig (Minas Gerais), EDP Escelsa (concessionária que fornece energia para parte do Espírito Santo), CEB (Companhia Energética de Brasília) e Celesc (Santa Catarina) relataram a determinação do ONS. As empresas afirmaram desconhecer os motivos para o corte de carga. Segundo elas, o corte ocorreu em locais não prioritários, evitando hospitais e indústrias, por exemplo.
O corte seletivo de carga ocorreu dentro do denominado ERAC (Esquema Regional de Alívio de Carga), sistema de proteção coordenado pelo ONS, que determina às concessionárias de energia elétrica cortes em estágio, com o objetivo de preservar o fornecimento do sistema, informou a CPFL.

O Ministério de Minas e Energia afirmou que compete à ONS dar mais detalhes. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) informou que vai aguardar o relatório do ONS para fiscalizar e atribuir a responsabilidade. 

São Paulo

Na capital paulista, a energia caiu por volta de 15h em bairros como Santa Cecília, Campos Elíseos, na região Central; Pinheiros e Jardins, na zona oeste; e Vila Mariana, na zona sul. A energia foi restabelecida em ao menos parte das regiões prejudicadas por volta de 15h45.

O apagão afetou a circulação de trens do Metrô. A linha 4-amarela parou de funcionar por volta de 15h, segundo relatos de passageiros. As estações Luz e República foram fechadas. A operação da linha voltou ao normal por volta de 16h30. A linha 3-vermelha chegou a funcionar com velocidade reduzida.

Na Grande São Paulo, faltou luz em municípios como Barueri, Embu das Artes e na região do ABC. Internautas do interior paulista relataram problemas em Campinas, Jundiaí e Ribeirão Preto.

A AES Eletropaulo informou que a redução de 700 megawatts determinada pelo ONS representa 10% da carga distribuída pela empresa. 

Rio

No Rio de Janeiro, usuários relataram em redes sociais falta de luz nos bairros do Tanque, Jacarepaguá e Praça Seca, na zona oeste, e Cordovil, na zona norte. Houve informes de queda de energia também em São Gonçalo, na região metropolitana, e em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

No sul do Estado, a usina nuclear de Angra 1 foi desligada.

Motociclista morre após colisão com carro em Santa Bárbara d'Oeste


Um homem de 23 anos morreu em uma colisão da motocicleta que conduzia com um automóvel na tarde deste domingo (18) em Santa Bárbara d'Oeste. João Caspani bateu de frente com um carro no cruzamento entre as avenidas São Paulo e Antônio Gomes Cardoso, na zona leste do município.
 
De acordo com a Polícia Militar, o carro era dirigido por uma mulher de 43 anos. Ela relatou que fazia a curva a São Paulo para a Antônio Gomes quando a moto veio em alta velocidade e colidiu de frente com ela.
 
O Corpo de Bombeiros ainda fez o resgate do rapaz e levou-o para o hospital Afonso Ramos, mas ao chegar no local, foi constatado o óbito. O caso foi registrado no plantão da Polícia Civil. 

Fuzilamento gera atrito diplomático entre Brasil e Indonésia


Rio - O Ministério das Relações Exteriores brasileiro encaminhou ao embaixador da Indonésia, Toto Riyanto, nota de repúdio do governo pela execução do brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, condenado por tráfico de drogas e fuzilado no sábado. 

Na nota, o Itamaraty reiterou que o governo “manifesta sua profunda inconformidade com a execução do cidadão brasileiro e com o fato de que gestões do mais alto nível e apelos presidenciais à clemência em favor do condenado tenham sido ignorados pelas autoridades indonésias, em franco contraste com as relações de amizade e cooperação que os dois países têm procurado desenvolver”. 

O Itamaraty voltou a dizer que o cumprimento da sentença de morte representa uma “sombra” no diálogo entre os dois países. As relações entre Brasil e Indonésia se intensificaram a partir de 2008, com a criação do Plano de Ação da Parceria Estratégica. 

Em 2014, a corrente de comércio entre os dois países ficou em US$ 4 bilhões, com salto positivo para o Brasil de US$ 451 milhões. Brasil e Indonésia desenvolvem parceria na área de defesa, com a venda de aviões super-tucanos e lançadores de foguetes. Também estão em vigor memorandos de entendimento nas áreas de energia, agricultura, etanol, educação e erradicação da pobreza. 

Mais cedo, a presidenta Dilma Rousseff havia divulgado nota em que dizia estar “consternada e indignada” com a execução do brasileiro, e convocou o embaixador do Brasil em Jacarta, Paulo Alberto da Silveira Soares, para consultas. 

Na linguagem diplomática, chamar um embaixador para consultas indica uma espécie de agravo ao país em que está o embaixador. No entanto, o Itamaraty informou que ainda não há data prevista para o retorno de Soares ao país. 

Ontem, a Holanda, que também teve um cidadão entre os seis executados na Indonésia, também convocou seu embaixador. Cinco estrangeiros, entre eles o brasileiro Marco Archer, e um indonésio foram mortos por um pelotão de fuzilamento pouco depois da meia-noite de sábado. As execuções foram as primeiras sob o comando do presidente Joko Widodo.

O governo brasileiro ainda trabalha pela extradição de Rodrigo Gularte, também condenado à morte por tráfico na Indonésia. Archer, que era instrutor de voo livre, foi condenado por ter tentado entrar na Indonésia em 2003 com 13 quilos de cocaína escondidos dentro dos tubos de uma asa delta. A Indonésia pune o tráfico de drogas com pena de morte. 

Segundo a embaixada brasileira em Jacarta, o corpo de Archer foi cremado e as cinzas serão trazidas para o Brasil pela tia dele, Maria de Lurdes Archer Pinto. Embora até o momento da execução tenham sido usados mecanismos jurídicos para livrar o brasileiro da pena capital, segundo o Itamaraty, o telefonema de Dilma para Widodo, na sexta-feira, foi o último e mais extremo gesto diplomático para sensibilizar o governo indonésio, mas o presidente se mostrou irredutível. 
 
Esse não foi o primeiro apelo brasileiro. Em 2005, o então presidente Lula enviou a primeira carta com pedido de clemência. A presidenta Dilma fez outros três pedidos: em fevereiro de 2011, setembro de 2012 e julho e dezembro de 2014. Segundo o Itamaraty, foram feitos também dois pedidos pelo próprio brasileiro, ambos negados. O pedido de clemência está previsto na legislação do país. 

Sexta-feira, a presidenta pediu que o governo indonésio reconsiderasse. Widodo respondeu que não poderia comutar a sentença pois todos os trâmites jurídicos foram seguidos conforme a lei do país, garantindo ao brasileiro o direito de defesa. 

Segundo o assessor para assuntos internacionais do Palácio do Planalto, Marco Aurélio Garcia, entre as diversas tentativas de intervenção, o governo brasileiro apelou até mesmo para a Nunciatura Apostólica — representação do Vaticano no Brasil. “Fiz chegar à representação da Santa Sé no Brasil um pequeno dossiê sobre o caso e me foi assegurado que isso seria enviado à Secretaria de Estado do Vaticano para que sua Santidade pudesse interceder em favor de uma atitude de clemência do governo indonésio”, disse. 

Segundo dados do Itamaraty, outros 962 brasileiros estão presos no exterior por tráfico ou porte de drogas. O número representa 30% dos 3.209 brasileiros detidos fora do país.