quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Carioca, do 'Pânico na Band', é internado em hospital de SP

Assessoria do humorista não quis dar informações sobre o seu estado de saúde, mas Márvio Lúcio permanece no Hospital Albert Einstein.

Fonte: Terra Notícias

Conhecido por suas imitações no programa Pânico na Band, o humorista Márvio Lúcio, mais conhecido como Carioca, está internado no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, segundo informou a assessoria do local.

Segundo notícia publicada pelo site da Jovem Pan, que detém a franquia do programa, também transmitido pela rádio, Márvio teria sido hospitalizado depois de ter passado mal com um spray usado em sua última apresentação na atração, na qual parodiou o cantor Seu Jorge. O comediante teria passado três dias internado em Unidade de Tratamento Semi-Intensivo, depois de ser encaminhado para um quarto, onde seria submetido à fisioterapia pulmonar.

Procurada pelo Terra, a assessoria de Carioca preferiu não dar mais informações sobre seu estado de saúde. No entanto, o humorista deu a entender que havia sofrido dificuldades durante o programa em uma legenda de uma foto no Instagram. "Tivemos problemas em nossas apresentações, o Mauricio falou que não fez seu melhor, e eu tive um problema que vocês nem imaginam", dizia a legenda, sobre a imitação de Márvio ao lado do também comediante Mauricio Jortack, que encarnou Michael Jackson na competição Libertadores do Humor.

Policial é baleado com 3 tiros em Itatiba

Fonte: TVB Record

Idosos dizem ter sido esquecidos em hospital de Santa Bárbara D'Oeste


Oito idosos de Santa Bárbara d'Oeste acusam a prefeitura de tê-los esquecido na noite de anteontem no Hospital Ouro Verde, em Campinas. O grupo tinha passado por consultas pós-operatórias no hospital e relatou que foi deixado para trás pelo motorista da empresa terceirizada, Viação Oliveira. Ainda segundo eles, após diversas tentativas de contato com a prefeitura para solicitar transporte, o grupo entrou em contato com uma equipe de reportagem de uma emissora de TV e, somente então, o transporte foi enviado pela administração, o que ocorreu por volta da meia-noite.
 
"É um descaso absoluto. Eles ficaram abandonados lá, tinha gente desesperada, quase chorando, com fome e com frio", desabafou Cristiane Maria Dias Lando, 49, filha de Francisco Lando, 75, um dos pacientes que ficaram no local.
 
De acordo com a professora, o pai tinha uma consulta agendada para as 17h30 no hospital e saiu de Santa Bárbara d'Oeste por volta das 11h numa van. Por volta das 18h, ao perceber que o motorista ia embora com 15 pacientes, o aposentado pediu para esperar, segundo a filha, mas obteve a resposta que não podia pois já tinha passado do horário. "Meu pai pediu, então, para ele avisar alguém da prefeitura para buscá-los", contou Cristiane.
 
Segundo ela, a família começou, então, a tentar contato com a prefeitura. "Tentei falar com alguém por muito tempo, mas depois das 18h você não encontra ninguém. Quando finalmente consegui falar, obtive a resposta que não tinha van para ir buscá-los", disse. "Se eu fosse buscar meu pai com meu carro só caberiam mais três pessoas. E os outros?", questionou.
 
Diante da resposta, a professora entrou em contato com um radialista da cidade que tentou ajudá-los ligando para o prefeito, vice-prefeito e secretário da saúde, mas não teve suas ligações atendidas. Segundo ela, o radialista sugeriu que eles procurassem a emissora de TV para denunciar o ocorrido. "Foi abandono de incapaz, pois tinha várias pessoas idosas com dificuldade de falar, de se locomover. Eram pessoas simples que não tinham como resolver a situação", destacou.
 
Cristiane contou, ainda, que por volta das 23h o hospital ofereceu um café com bolacha aos oito idosos e seus acompanhantes e que a assistente social chegou, inclusive, a cogitar a hipótese das pessoas dormirem na unidade de saúde caso ninguém fosse buscá-los.
 
 Após a chegada da equipe de reportagem, segundo a professora, uma van da prefeitura chegou ao local por volta de meia-noite para transportar os pacientes e o motorista chegou a bater boca com seu pai, que estava revoltado com a situação, dizendo "que não era culpa dele e que ele não era o prefeito".
 
Os idosos chegaram em casa por volta da 1h30, segundo Cristiane. "Quando eles chegaram aqui em Santa Bárbara havia três Kombis para levá-los para casa. Aí eu te pergunto: essas Kombis não podiam ter ido buscá-los antes?", questionou.
 
A aposentada Margarida Silva Menezes, 69, foi uma das pessoas que ficaram esperando o transporte. Ela chegou ao hospital por volta das 7h para uma consulta, mas não conseguiu voltar na van que levou os pacientes às 11h por falta de espaço. "O motorista falou que voltava às 14h e eu fiquei esperando só que saí de lá mais de meia-noite. Fomos destratados pela prefeitura. A gente não tinha comida, bebida e se não fosse o hospital tínhamos ficado sem nada. Passamos frio e tinha gente que não pode nem tomar o remédio de diabetes e pressão por conta da demora pra voltar pra casa", contou.

Na Record, Xuxa pode ocupar horário do “Programa da Tarde”


Principal figura do noticiário televisivo das últimas semanas, Xuxa possui duas opções para o seu futuro profissional: Continuar na Globo ou ir para a Record.

Segundo o “NTV”, a emissora paulista apresentou à loira o projeto de um programa vespertino voltado para as mulheres, faixa de público com a qual Xuxa nunca dialogou diretamente ao longo de sua carreira.

Caso a apresentadora aceite o convite, a atração deve ocupar o horário do “Programa da Tarde” a partir de abril e se tornar um dos carros-chefe de toda a programação da Record.

No projeto, o novo programa de Xuxa contaria com uma grande infraestrutura que mobilizaria os estúdios da Record em São Paulo e Rio de Janeiro, além de mesclar jornalismo e entretenimento.

Por ora, no entanto, a Rainha dos Baixinhos segue contratada pela Globo e se reunirá com a alta cúpula da emissora nos próximos dias para discutir acerca de seu futuro na Casa.

Gays, lésbicas e travesti participam de "casamentaço" em Campinas

Cerimônia coletiva em cartório reuniu cinco casais LGBT, entre os quais, o de um homem que se casou pela quarta vez -- a primeira, segundo ele, com uma travesti.

Fonte: Terra Notícias

O casal Wagner Fernandes, 60 anos, e Paola Fernandes, de 36, comemorou a união nessa quarta-feira, em Campinas (79 km de São Paulo), do modo tradicional: registro em cartório com certidão de casamento, troca de alianças, beijinho para os fotógrafos e sobrenome do marido transferido à cônjuge na certidão – de batom vermelho, vestido branco e buquê de rosas vermelhas. “É meu quarto casamento”, disse o noivo à reportagem. “O primeiro, porém, com um travesti”, ressalvou. “Minhas ex-mulheres até sabem, mas meu filho ainda não aceita muito bem”, admitiu.

 Foto: O casal Wagner Fernandes, 60 anos, e Paola Fernandes, de 36, oficializou a união de seis anos. É o quarto casamento dele - o primeiro com uma travesti

Foto: Janaina Garcia / Terra

Eles foram um dos cinco casais que oficializaram relacionamentos de anos, perante a Justiça, com base na resolução nº 175, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), publicada em maio de 2013. Pelo documento, cartórios de todo o Brasil não podem recusar a celebração dessas uniões, tampouco a conversão de uniões estáveis homossexuais em casamentos.

No começo do mês, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que foram registrados no Brasil, no ano em que a resolução do CNJ entrou em vigor – ainda que, tecnicamente, o Judiciário reconhecesse a união homoafetiva desde 2011 –, um total de 3.701 casamentos entre pessoas do mesmo sexo ; a maioria (52%) entre mulheres e na região Sudeste (65,1%). O número representa 0,35% das 1,1 milhão de uniões que aconteceram no mesmo período.

As uniões civis em Campinas foram organizadas pelo Centro de Referência LGBT, serviço municipal implantado em 2003 e primeiro do gênero, no poder público, criado no País. É a segunda iniciativa do órgão.

Casamento foi "um sonho realizado", diz travesti

Para os casais, a medida é um primeiro passo para ao menos garantir a segurança jurídica do parceiro – tais como direitos a bens, em caso de separação ou morte, ou mesmo a inclusão do nome como beneficiário de plano de saúde.

Nascida em Imperatriz (MA), Paola contou que o casamento foi “um sonho realizado”. “Estamos felizes, não temos do que reclamar na vida social e conjugal. Queria muito ter o nome do meu marido, estamos juntos há seis anos. Agora é comemorar nossa lua de mel, que vai ser top: tem uma banheira com flores e champanhe nos esperando no hotel”, contou a cabeleireira. “Oficializamos mais pela segurança dela por exemplo em relação à minha aposentadoria, e também porque era um sonho. E nunca sofremos discriminação – também porque todo mundo acha que ela é mesmo uma mulher”, completou o marido.

Para casal gay, "faltam leis aos LGBT"

Também casados no cartório, o motorista Adaílton da Silva Germano e o tosador de cães Elival Júnior, ambos de 29 anos, decidiram registrar os sete anos em que estão juntos. O que ainda falta aos LGBTs? 

Foto:Adaílton Germano e Elival Júnior estão juntos há sete anos
Foto: Janaina Garcia / Terra


“Faltam leis que garantam mais igualdade a quem é LGBT e também que criminalizem a homofobia. Porque hoje alguém agride um gay ou uma lésbica e fica praticamente impune”, observou Germano. “E viriam aqui 17 casais, só vieram cinco. Se as leis de fato existissem de forma mais ampla, seria mais fácil para as pessoas e assumirem e reivindicarem seus direitos”, complementou Júnior.

Mulher foi impedida de ver companheira no hospital

Para o casal Regina Maria, 47 anos, e Adriana Campos, de 25, falta de leis de amparo e preconceito ainda são barreiras para a aceitação dos casamentos homoafetivos. Elas estão juntas há nove anos.

Foto: O casal Adriana e Regina oficializou a união de nove anos
Foto: Janaina Garcia / Terra

“Há dois anos, ela sofreu um acidente de moto e ficou internada. Só consegui vê-la no hospital com um mandado judicial, pois a família dela, que não me aceitava, proibia a minha presença lá. Enquanto houver esse preconceito, as pessoas não vão ter tanta coragem de se assumir, isso é fato”, analisou Regina, que é porteira. “Agora minha mãe nos aceita, mas meu pai, de jeito nenhum. E aí fora é só olhar com atenção: se antes era xingamento, agora a coisa parte até para a agressão e a morte”, disse Adriana, que é encarregada.

“E curioso é que pagamos impostos como qualquer outro cidadão. Se na eleição os políticos não vêm perguntar nossa orientação sexual para pedir voto, o mínimo que deveriam fazer é garantir que os direitos sejam iguais para todos, porque eles ainda não são”, arrematou Regina.

"Já somos uma família", diz casal de lésbicas com filho

Entre os casais, parte levou os familiares junto às testemunhas, parte alegou que a família estava na cidade natal, ou em horário de trabalho. Companheiras há 14 anos, a operadora de produção Carmen Silvia Ferreira Poderoso, 47 anos, e a auxiliar de enfermagem Cláudia Nascimento da Cunha Poderoso, 44 anos, fez questão de levar o filho de oito anos para acompanhá-las perante a juíza que celebrou a união.

Foto:Carmen e Cláudia agora têm "Poderoso" no nome de casadas
Foto: Janaina Garcia / Terra

“Casamos pela estabilidade jurídica, porque uma família já somos faz tempo”, disse Carmen, ao lado do “filho de coração” – adotado ainda bebê após três anos de espera na fila. Ela pediu que o nome do menino não fosse publicado para evitar “mais bullying na escola”. “Ele já sofreu, mas isso foi corrigido”, mencionou, recebendo do filho um sorriso cúmplice.

A auxiliar de enfermagem contou que se descobriu homossexual ao se envolver com a atual cônjuge – à época, trabalhavam juntas e ela estava prestes a ficar noiva de um homem. Hoje, em empresas diferentes, elas afirmam que vão às festas de fim de ano uma da outra, “sem discriminações”.

“Tentei me esquivar quando senti que estava gostando da Carmen, mas o sentimento ficou mais forte e entendi que não havia por que eu negá-lo: eu não estava fazendo algo errado nem mal algum a quem quer que fosse”, explicou.

Para a agora mulher, e não apenas “companheira”, o desafio segue, porém, para fora do lar da família. “O Brasil é um País ainda bem machista, pois há pessoas na sociedade que nos veem, mas não querem nos aceitar. Mas eu aprendi a ser dura para lidar com essas situações”, relatou Carmen.



 

Bairro sem pavimentação preocupa moradores em Campinas

Fonte: TVB Record

Homem faz 50 cirurgias plásticas para ficar parecido com Kim Kardashian


Um inglês de 23 anos transformou sua vida em uma jornada rumo a um único objetivo: Ficar parecido com a socialite americana Kim Kardashian, sua grande musa inspiradora.

Para isso, Jordan James Parker já desembolsou cerca de R$ 400 mil e já passou por mais de 50 procedimentos cirúrgicos como preenchimento labial, tatuagem de sobrancelhas, injeção de Botox, remoção de pelos, entre outros.

“Eu amo tudo que tem a ver com a Kim. Ela é a mulher mais bonita que já existiu”, afirmou o rapaz, que teve sua curiosa história relatada pelo jornal inglês “The Sun”.

Garoto de 12 anos evita suicídio da mãe em Valinhos


Um garoto de 12 anos salvou a mãe de uma tentativa de suicídio em Valinhos na tarde desta quarta-feira (17). A mulher tentava se enforcar quando o filho arrebentou a corda e retirou-a do pescoço da mãe.
 
 
De acordo com a Guarda Municipal, que participou da ação, a dona de casa de 37 anos amarrou uma corda no pescoço e no teto e saltou de um cavalete que havia no quintal da casa.
 
 
Segundo a Guarda Municipal, a tentativa de suicídio aconteceu por volta de 15h no bairro São Pedro. Uma vizinha foi a primeira a ver a dona de casa tentando se matar e gritou, em seguida a criança de 12 anos correu para salvar a mãe.
 
 
A equipe da guarda levou a dona de casa para a Santa Casa de Valinhos, onde a dona de casa permanece em observação.

Traída, chinesa deixa marido e irmã nus em estacionamento

Ao surpreender a dupla, a mulher traída fez com que saíssem do carro – e os abandonou como estavam, deixando-os pelados publicamente.

Fonte: Terra - Mundo

Este é o momento em que a verdade “nua e crua” aconteceu na vida de uma mulher chinesa que descobriu o caso entre sua irmã gêmea e o marido. Ao flagrar os dois em um estacionamento, Ting Su, 29 anos, acabou se vingando de forma curiosa: deixando os dois nus em público e fugindo com o carro. As informações são do The Mirror.

Segundo a publicação, Ting Su teria rastreado o marido por um aplicativo de celular, quando chegou ao local, na cidade de Suzhou, flagrando Cheng Su, 30 anos, fazendo sexo com sua irmã gêmea no carro. Ao surpreender a dupla, a mulher traída fez com que saíssem do veículo – e os abandonou como estavam, deixando-os pelados publicamente.


Cheng Su teria iniciado o caso com a irmã da mulher desde que Ting deu à luz filhos gêmeos.  Ainda de acordo com o The Mirror, o casal está se divorciando.

Uma testemunha disse ter visto o momento em que, constrangidos, os dois tentam escapar do local – e a irmã gêmea coloca as mãos no rosto com bastante vergonha. “Foi muito engraçado. Várias pessoas estavam ali naquela hora. Todos pegaram seus celulares e tiraram fotos dos pelados, inclusive eu”, conta.

 

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Polícia prende ladrão de coleção de objetos

Fonte: TVB Record

Mecânico é vítima de sequestro-relâmpago em Hortolândia


Quatro criminosos assaltaram o mecânico V.R.O.S.F., 23, na noite de domingo. A vítima só comunicou o caso à polícia na segunda-feira e relatou que foi obrigada a entrar no carro com os criminosos. 
 
Ele disse, de acordo com o BO (Boletim de Ocorrência), que estava ao lado do shopping de Hortolândia, na Rua Luís Camilo de Camargo, no bairro Remanso Campineiro, e havia feito compras em um supermercado próximo. 
 
Enquanto caminhava pelo local, um carro, cujas características ele não conseguiu descrever aos policiais, parou ao lado dele, com quatro ocupantes. Um deles abaixou o vidro da janela e apontou uma arma, anunciando o assalto. 
 
A vítima foi obrigada a entrar no carro com os criminosos e foi levada para o Jardim Amanda. No local, os bandidos mandaram que ele entregasse o cartão do banco e revelasse a senha, para que os ladrões sacassem dinheiro. 
 
A quadrilha retirou R$ 200 da conta, levou as sacolas de compras que a vítima havia feito minutos antes e ainda levou do mecânico uma jaqueta e um par de tênis, deixando a vítima a pé e descalça. Os criminosos fugiram.

Famílias são obrigadas a desocupar terreno no bairro de Itatinga em Campinas

Fonte: TVB Record

À beira da morte, Schumacher é abandonado por patrocinadores e perde fortuna

Recuperação de ex-piloto é vista com pessimismo por médicos e empresas deixaram de investir nele


Por causa do grave acidente sofrido em 2013, o ex-piloto Michael Schumacher, heptacampeão mundial de Fórmula 1, perdeu cerca de R$ 16 milhões em receitas anuais. Alguns médicos de Michael Schumacher chegaram atá a jogar a toalha em relação à sua recuperação. E dois patrocinadores desistiram de investir na imagem do alemão

Enfermeira é espancada em Campinas e posto de Saúde fecha hoje em protesto


O Posto de Saúde do bairro DIC 3, em Campinas, não terá atendimento hoje por conta de protesto de funcionários contra a falta de segurança do local. Anteontem à noite uma enfermeira teve o carro roubado quando encerrava o turno de trabalho e foi espancada pelo criminoso. A prefeitura diz que a GM (Guarda Municipal) faz ronda no local, que tem um segurança particular durante o horário de expediente. 
 
De acordo com Neli de Oliveira Rossi, 73, moradora do bairro e membro do conselho do posto, a enfermeira, que não teve a idade e nome revelados, estava ido embora quando foi atacada pelo criminoso. "Uma enfermeira estava saindo para ir embora, era por volta das 19h, estava claro ainda. Roubaram o carro dela e ainda agrediram. Fiquei sabendo que bateram bastante nela", contou, indignada. 
 
Segundo Neli, o protesto está marcado para hoje, a partir das 8h, em frente ao posto, que fica na Rua José Caivani, e vai contar com a presença de todos os funcionários, inclusive médicos e demais enfermeiros. "O posto nem vai abrir. Vamos ficar em frente ao posto, todos vestidos de preto, em luto pela segurança. Amanhã (hoje) é dia de marcação de consultas e tem uma fila enorme. Vamos fazer o protesto para mostrar para a prefeitura que precisamos de mais segurança e a prefeitura vai ter que resolver. A enfermeira não vai querer voltar, vai ficar traumatizada", avaliou. 
 
Ela afirmou que esse não foi um caso isolado e que outros casos de assaltos estão sendo registrados desde o ano passado. A reportagem tentou contato no telefone fixo do posto de saúde, mas a ligação não era completada. 
 
A assessoria de imprensa da administração informou que recebeu a informação de que o protesto seria uma ação do conselho para discutir a violência com a comunidade local. "As consultas de amanhã (hoje) já foram remarcadas e quinta e sexta terá marcação de consultas. A GM faz rondas no local, tem um guarda terceirizado durante o expediente e o local tem estacionamento fechado", explicou a assessoria. 
 
OUTRO CASO 
 
Esse não é o primeiro caso de unidade de saúde que paralisa os atendimentos por falta de segurança. No dia 11 de agosto, funcionários do PA (Pronto Atendimento) São José também interromperam os atendimentos depois que o carro de uma auxiliar de enfermagem foi alvo de uma tentativa de furto durante a noite do mesmo dia. O carro teve a porta danificada e o vidro do lado do motorista quebrado, mas nada foi levado. 
 
Segundo a auxiliar de enfermagem que sofreu a tentativa de furto, A.B.S., 42, aquele foi o terceiro caso igual em menos 14 dias. "Nós ouvimos o barulho às 23h30 e fomos correndo para o estacionamento. Nessa hora vimos que um rapaz saiu correndo. A gente não deixa mais nada dentro do carro porque sabemos que eles levam. Essa foi a terceira vez que isso aconteceu em 14 dias", reclamou a auxiliar. 
 
Na época, a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Saúde afirmou que todos os Centros de Saúde desenvolvem projetos nos bairros das suas áreas de abrangência, especialmente em comunidades de vulnerabilidade social. Dessa forma, apontou, cada unidade de saúde contribui para o desenvolvimento humano e social dos moradores do entorno, procurando gerar alternativas que melhorem a qualidade de vida.

Polícia investiga se armas usadas por jovens foram usadas em outros crimes em Campinas

Adolescentes foram apreendidos depois de praticar um roubo em uma joalheria no centro da cidade.


Maria do Rosário entra com queixa-crime no STF contra Bolsonaro

Polêmica começou no dia 9 de dezembro após discurso do deputado na Câmara.

 
A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) protocolou ontem (16) no STF (Supremo Tribunal Federal) uma queixa-crime por injúria e calúnia contra o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ).

Segundo a parlamentar, Bolsonaro fez declarações de teor ameaçador e incitou a violência. No dia 9 deste mês, em discurso no plenário da Câmara, o deputado disse que só não estupraria a deputada Maria do Rosário porque ela “não merece”. No dia seguinte, ele reafirmou a declaração em entrevista ao jornal Zero Hora.

Justiça Eleitoral cassa Edson Moura Júnior pela sexta vez


A Justiça Eleitoral de Paulínia tornou a cassar, ontem, o mandato do prefeito Edson Moura Júnior (PMDB) e do vice-prefeito Francisco Almeida Bonavita Barros (PTB). Esta foi a sexta cassação acumulada pelos dois políticos - e a terceira em menos de um mês -, mas a primeira sob alegação de abuso de poder econômico. Por ser decisão em primeira instância, Moura Júnior pode recorrer ao TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo). 
 
Segundo o texto da decisão da Juíza Eleitoral da 323ª Zona Eleitoral de Paulínia, Márcia Brandão Pistelli, proferida no dia 12 de dezembro, ela julgou procedente a ação de investigação judicial movida pelo MPE (Ministério Público Eleitoral) por abuso de poder econômico. 
 
A sentença está sendo publicada no Diário de Justiça Eletrônico de hoje. Além da cassação de Moura Júnior e Bonavita, a decisão decreta a inelegibilidade dos dois por oito anos, a contar das eleições de 2012, bem como a inelegibilidade de Edson Moura (PMDB), que deu lugar ao filho às vésperas do pleito por ter a candidatura barrada pela Lei da Ficha Limpa. 
 
A cassação de ontem é originária de um processo diferente das outras que invalidaram o diploma do peemedebista. Nas outras cinco vezes, Moura Júnior teve o cargo cassado pela troca ilegal com o pai, que, segundo o TRE-SP, caracterizaria fraude eleitoral. 
 
OUTRAS CASSAÇÕES 
 
Moura Júnior foi cassado em novembro e duas vezes, contando com esta, no mês de dezembro, mas foi reconduzido ao cargo por recursos interpostos no TRE-SP, ambos acatados pela desembargadora Diva Malerbi. Enquanto esteve fora, o Executivo foi comandado pelo presidente da Câmara, Marcos Roberto Bolonhezi, o Marquinho Fiorella (PP). 
 
A reportagem do TODODIA tentou entrar em contato com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Paulínia, mas as ligações feitas aos telefones celulares do assessores não foram atendidas e os recados não foram retornados.

Teatro será inaugurado em parque ecológico revitalizado em Campinas

Fonte: TVB Record

Ônibus desgovernado causa série de acidentes e deixa 3 feridos em Campinas


Um ônibus desgovernado deixou três motoristas levemente feridos após bater em seis veículos na tarde de ontem, em Campinas. Após os acidentes, o ônibus ficou pendurado no portão de um supermercado, por volta das 13h30. O coletivo estava sem passageiros, segundo a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas). 
 
A Emdec informou que o ônibus, da linha 332, pertencente ao Consórcio UrbCamp, uma das concessionárias responsáveis pelo transporte urbano da cidade, colidiu com um Fox no cruzamento da Avenida Dr. Alberto Sarmento com a Rua Dr. Arnaldo de Carvalho, altura da Vila Teixeira. A motorista do carro, com idade próxima aos 40 anos, ficou ferida, foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e levada a um hospital da região do Campo Grande. 
 
Em seguida, o coletivo se envolveu em uma colisão em série e atingiu um Fox na Avenida John Boyd Dunlop, um ônibus da linha 212, um caminhão, um Peugeot e um Fiesta, invadiu a Avenida Império do Sol Nascente e ficou pendurado em um barraco em frente a um supermercado, próximo à Vila Aurocan. O caminhão chegou a tombar na via. Os motoristas do Fox e do ônibus 212 também ficaram feridos e foram atendidos pelo Samu. 
 
Segundo a Emdec, as causas do acidente serão apontadas por perícia. A reportagem não localizou nenhum representante da empresa para comentar o acidente na noite de ontem.


Em seu programa, Jô repreende rapaz que grita palavras de apoio a Bolsonaro


Jô Soares repreendeu um rapaz que estava no auditório e gritou palavras de apoio ao deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), 59 anos, durante o seu programa no início da madrugada desta quarta-feira (17). O parlamentar é acusado de ferir o decoro ao dizer que "não estupraria Maria do Rosário [PT-RS] porque ela não merece".

"Viva, Bolsonaro!", gritou o rapaz, logo depois do programa exibir um VT com palavras de Bolsonaro. "Quem foi que gritou esse absurdo? Maluf está na plateia? Quem que gritou? É só para eu saber", perguntou Jô, surpreso.

Após segundos de silêncio, o homem se "entregou" e justificou o seu apoio a Bolsonaro. "Eu entendi o que ele quis dizer. Ele foi autor de um Projeto de Lei para castração química de estrupador (sic).  Ele não quis fazer apologia. Eu acredito que deu no contexto da fala dele", justificou o rapaz. "Eu já ouvi muita bobagem na minha vida, mas essa supera o Bolsonaro", rebateu Jô.

Após a resposta, o apresentador da Globo foi aplaudido pela plateia presente e pelas jornalistas que estavam ao seu lado.

Duas semanas atrás, Jô Soares já havia dividido opiniões em redes sociais ao criticar aqueles que defendem o "impeachment" de Dilma Rousseff (PT) e por achar que a presidente não deveria ser responsabilizada por ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Quadrilha invade empresa e explode caixa eletrônico em Piracicaba

Fonte: TVB Record

"Queremos que sintam nossa dor", diz Taleban após ataque a escola administrada pelo Exército paquistanês

Atentado seria resposta por famílias de insurgentes serem "alvo" dos militares.


 
Um sangrento ataque taleban contra uma escola do Paquistão na terça-feira (16) deixou pelo menos 141 mortos — entre eles sete integrantes do grupo radical — e dezenas de feridos, a maior parte criança, em uma das piores ações terroristas no país, que se prolongou durante horas e gerou uma enérgica condenação internacional.

O principal grupo taleban paquistanês, o TTP (Tehrik-e-Taliban Pakistan), reivindicou a autoria do ataque e alegou que, "para o Exército", suas famílias "são alvos" nas operações militares contra os insurgentes nas regiões tribais do Waziristão do Norte e de Khyber.

"Queremos que sintam nossa dor", disse o grupo em comunicado, no qual acrescentou que entre seus membros que participaram do ataque estavam "suicidas" com "ordens de atirar nos estudantes mais velhos, mas não nas crianças", como reproduziram jornais paquistaneses.

O diretor-geral do escritório de relações públicas do ISPR (Exército paquistanês), Asim Bajwal, declarou em entrevista coletiva que mais de 130 das vítimas que morreram no ataque eram meninos, com idades entre 7 e 17 anos. Os outros nove eram funcionários do colégio.

Entre os feridos estão nove militares que ajudaram na operação de libertação das 960 pessoas que estavam no interior da escola.

O ataque começou quando um grupo de insurgentes vestidos com uniformes do Exército entrou pelos fundos do colégio, administrado por militares na cidade de Peshawar, antes do meio-dia no horário local (6h de Brasília), equipados com várias armas e coletes com explosivos, detalhou Bajwal.

Segundo ele, os talebans não tinham intenção de fazer reféns, apenas de conseguir atingir o maior número possível de vítimas.

O ataque só foi encerrado por volta das 18h20 locais (11h20 de Brasília), quando os militares conseguiram matar sete insurgentes que estavam entrincheirados.

Contexto

O ataque à escola foi uma resposta do grupo extremista a uma campanha conduzida pelo Exército contra insurgentes em áreas tribais.

Desde junho, os militares paquistaneses realizam operações nas regiões do Waziristão e de Kyhber com contínuos bombardeios e operações terrestres que, de acordo com fontes oficiais, causaram mais de 1.100 mortes.

O Taleban paquistanês luta para derrubar o governo e estabelecer um rígido regime islâmico, mas o grupo é mais forte no Afeganistão.

Com origem nas tribos que viveram na fronteira entre esses dois países, os talebans estiveram no governo afegão durante cinco anos (1996-2001), quando houve a invasão norte-americana ao país.

O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, afirmou que o ataque é uma "crise nacional" e que os culpados não serão perdoados.

Além de decretar três dias de luto em todo o país, ele convocou uma reunião amanhã em Peshawar com todos os partidos representados no Parlamento.

A ação de ontem foi uma das piores ocorridas nos últimos anos no país asiático, que viveu em novembro um atentado que deixou 57 mortos e 112 feridos em um posto na fronteira do Paquistão com a Índia.

Passagem de ônibus sobe a R$ 3,15 em Americana

Em meio a crise Política, população vai pagar mais caro para se locomover pela Cidade.


A tarifa do transporte coletivo urbano em Americana subirá de R$ 2,70 para R$ 3,15, aumento de 16,7%, a partir de sábado, a cinco dias do Natal. O decreto foi assinado ontem à noite pelo prefeito interino Paulo Sérgio Vieira Neves, o Paulo Chocolate (PSC). A prefeitura vai subsidiar em R$ 0,35 cada passagem, mantendo o benefício concedido em janeiro deste ano pelo prefeito cassado Diego De Nadai (PSDB). O subsídio foi mantido no limite de R$ 500 mil mensais. 
 
A Viação Cidade de Americana e a Viação Princesa Tecelã reivindicavam tarifa de R$ 3,83 desde agosto. A prefeitura concedeu o reajuste porque as empresas ameaçavam interromper algumas linhas alegando desequilíbrio financeiro no contrato, informou o secretário de Transportes e Sistema Viário, Silvio Marcelo Francisco Britto. O prefeito evitou a imprensa ontem à noite, para não falar sobre o reajuste nem sobre a greve. 
 
O edital prevê que o preço ao usuário comum e pelo vale-transporte será de R$ 3,15. A passagem para estudantes e professores será de R$ 1,50; de empregados e trabalhadores com renda mensal igual ou inferior a dois salários mínimos será de R$ 2,35; aposentados R$ 1,58 e no cartão comum carregável, R$ 3. 
 
Desde 2011 a tarifa não sofria reajuste. 
 
O secretário disse que sofreu pressão das empresas para o reajuste. "As empresas, realmente, estavam pressionando a reduzir ônibus, a parar e a gente ia criar um problema muito sério, principalmente nesta época, que é Natal. Então, o prefeito resolveu adequar, não o que eles (empresas) queriam, mas o valor da passagem a R$ 3,15", justificou Britto. 
 
Segundo o secretário, das 12 parcelas do subsídio, a prefeitura pagou duas, com o limite de R$ 350 mil mensais às duas empresas, o que gerou um desequilíbrio contratual. A diferença está sendo cobrada de forma administrativa. 
 
Em nota, as concessionárias alegaram que estão há mais de dois anos expondo para a administração as dificuldades financeiras e que não estavam em condições de garantir o pagamento do 13º e até mesmo dos salários, podendo gerar uma possível paralisação por parte dos funcionários. 
 
As empresas ressaltaram, na nota, que o valor reajustado "está aquém da real necessidade do sistema para sua manutenção, sendo assim os valores consignados no decreto promoverão um pequeno fôlego por um determinado período".

9 são detidos em operação de roubo milionário a Samsung

Crime aconteceu este ano na Unidade de Campinas 

Fonte: TVB Record